Bolsonaro tira Regina Duarte da Secretaria de Cultura

Cargo anunciado para Regina Duarte não existe na Cinemateca Brasileira
O presidente Jair Bolsonaro anunciou nesta quarta-feira (20) a saída da atriz Regina Duarte do cargo de secretária especial de Cultura. Regina Duarte assumiu a pasta em 4 de março, com a missão de "pacificar" o embate entre a classe artística e a indústria da cultura com o governo federal.

Regina Duarte relatou que sente falta de sua família, mas para que ela possa continuar contribuindo com o Governo e a Cultura Brasileira assumirá, em alguns dias, a Cinemateca em SP.

Pelo Twitter, o presidente Jair Bolsonaro disse que Regina Duarte, iria para a Cinemateca Brasileira. Mas embora o governo federal possa ter influência nas decisões, as indicações para os cargos seriam feitas pela organização social que administra a Cinemateca, ou seja não há uma garantia de que o desejo do presidente seja atendido. Em março de 2018, foi assinada uma parceria entre o antigo Ministério da Cultura e o Ministério da Educação, em que a Cinemateca passava a ser administrada integralmente pela Acerp por um período de 3 anos, portanto, até 2021. Mas a suspensão do contrato original do Ministério da Educação com a Acerp, anunciada em dezembro de 2019 pelo ministro Abraham Weintraub, faz chover incertezas a situação da instituição de cinema, que não recebeu repasses do governo federal em 2020.

POSTAGENS MAIS VISITADAS