Professor universitário da Universidade de Santa Cruz faz postagem em que ironiza ao propor a morte de Bolsonaro, Lauro e Michelle



Comentários postados no Facebook sobre a confirmação de que o presidente Jair Bolsonaro testou positivo para Covid-19 geraram polêmica em Santa Cruz do Sul na terça-feira, 7. As manifestações foram feitas pelo professor universitário Julio Bernardes.

Em um dos casos, Júlio Bernardes, sugeria que Bolsonaro e seus familiares ingerissem um raticida. “Olha tem um remédio que não falha…Mata o vírus com certeza.. se alguém conhece o Bolsonaro, ou os filhos, ou a Micheque… Diz para eles passarem numa agropecuária, ou até numa ferragem e comprarem ‘Ri do Rato’”, diz o texto. A mensagem foi apagada pelo Facebook, mas Bernardes seguiu recebendo críticas durante todo o dia.

O caso foi parar na PGR por iniciativa do deputado Ubiratan Sanderson, vice-líder do governo na Câmara.

A Universidade de Santa Cruz do Sul emitiu uma nota sobre as ameaças que seu professor fez. A reitoria da Unisc alegou que “não compactua com atitudes ou atos de violência de qualquer ordem, tampouco é condizente com manifestações que denigrem a honra da pessoa”.

O professor mora em Porto Alegre.

Ele afirmou que não imaginava a repercussão que o post teria. Bernardes lamenta que a Unisc tenha sido alvo de críticas por parte da comunidade devido ao caso e faz uma autocrítica sobre o texto que publicou.

“Fiz uma nota no Facebook, em que eu me desculpo. E me desculpo primeiro com as pessoas que talvez não tenham entendido a ironia da peça como humor, então peço desculpas, e segundo aos meus amigos, as pessoas com quem compartilho a visão de mundo, […] de certa forma, eu usei a arma que os outros usam para fazer um tipo de humor que a gente condena. Então eu acabei cedendo, talvez por tanto ver na internet um tipo de humor, a gente acaba cometendo um ato falho”, disse à Rádio Gazeta de Santa Cruz do Sul.

POSTAGENS MAIS VISITADAS