A cláusula de barreira já valerá para as próximas eleições

O Senado aprovou proposta que cria regras para barrar partidos com baixo desempenho nas urnas e que acaba com coligações para eleições do Legislativo. Todos os 58 senadores presentes deram aval às modificações, as únicas da reforma política aprovadas até agora pelo Congresso. A cláusula de barreira contra as siglas nanicas começará a vigorar já nas eleições do próximo ano. Essa condição veda, para as siglas que não atingirem determinada quantia de votos, acesso a recursos essenciais à sua sobrevivência política: verba partidária e propaganda na TV e no rádio. Há a previsão de que os atuais 35 partidos sejam reduzidos a menos da metade. O fim das coligações valerá a partir de 2020. Hoje, elas servem para elevar os votos de determinada chapa, já que o Congresso distribui as cadeiras conforme a votação dos eleitos e não eleitos, do partido ou da coligação. Com as atuais regras, havia união entre legendas com ideologias distintas. “Nós acabamos com essa excrescência”, afirmou o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE). Por serem emendas à Constituição, as medidas não precisam de sanção do presidente Temer.

Postagens mais visitadas deste blog

Gleisi Hoffmann, a senadora dos olhos verdes do PT tinha um amante

Fim da cobrança por marcação antecipada de assento em aeronaves depende agora da Câmara

Grupo Doha apresenta detalhes do porto de Arroio do Sal