Resolução da executiva do PP prevê desconto para deputados infiéis

Resultado de imagem para ciro nogueira PP
O PP Gaúcho está sendo penalizado pela direção nacional do partido, principalmente pelo fato de que o pré-candidato ao governo do RS, o deputado federal Luiz Carlos Heinze tem declarado apoio a Bolsonaro. Heinze, divulgou nesta sexta-feira apoio ao seu colega. Além desse fato, Heinze votou contra a orientação do partido em três propostas : criação do fundo eleitoral e prosseguimento dos dois processos contra o presidente Michel Temer. Em cada decisão de voto como essa, o partido nacional estipulou multas, que resumem-se ao corte de verbas para a campanha, além de não prever dinheiro para os candidatos a deputado estadual que não têm mandato.

O presidente do PP nacional, Ciro Nogueira já avisou que o candidato ao Piratini, Luis Carlos Heinze, terá 70% de desconto no valor original de R$ 4,55 milhões do fundo especial de financiamento da campanha a que teria direito. A direção estadual do PP contesta, principalmente, a aplicação de punição para um deputado que concorre a governador, como é o caso de Heinze.

Além de Heinze, na bancada gaúcha sofrerão as maiores punições os deputados Jerônimo Goergen e Afonso Hamm.

Essa discordância entre o PP gaúcho e a direção nacional não é de agora.

Dentro do PP está claro que a senadora Ana Amélia, maior liderança do PP no estado e candidata favorita à reeleição, não concorda com a aliança feita entre Heinze e Bolsonaro. Na campanha, a estratégia será fugir de fotos e registros nos quais o deputado fluminense apareça. Tudo indica que Ana Amélia apoiará Geraldo Alckmin (PSDB) na corrida ao Palácio do Planalto.

Postagens mais visitadas deste blog

Gleisi Hoffmann, a senadora dos olhos verdes do PT tinha um amante

Fim da cobrança por marcação antecipada de assento em aeronaves depende agora da Câmara

Grupo Doha apresenta detalhes do porto de Arroio do Sal