Governo aceita ceder em 4 pontos da reforma

Os pontos são os seguintes: o que retira a obrigatoriedade de recolhimento de FGTS de aposentados e do pagamento da multa de 40% da rescisão contratual deles; o que define o foro de Brasília para qualquer tipo de ação judicial sobre questões previdenciárias da reforma; retirada da definição de aposentadoria compulsória da Constituição, transferindo mudanças para lei complementar; e o que deixa apenas nas mãos do Executivo federal qualquer proposta de alteração nas regras da Previdência.

Na estratégia inicial, o governo só considerava a possibilidade de ceder na segunda etapa de tramitação do texto na Câmara, durante os trabalhos da comissão especial, que analisará o mérito da medida. Na avaliação de assessores do ministro da Economia, Paulo Guedes, os pontos oferecidos não afetam a potência fiscal da reforma e, por isso, podem ser negociados ainda nesta primeira fase de tramitação, segundo o Blog do Valdo Cruz, no G1.

Postagens mais visitadas deste blog

Gleisi Hoffmann, a senadora dos olhos verdes do PT tinha um amante

Fim da cobrança por marcação antecipada de assento em aeronaves depende agora da Câmara

Grupo Doha apresenta detalhes do porto de Arroio do Sal