Economistas preveem ano perdido

Economistas passaram a prever mais um ano de estagnação econômica para o País – o terceiro depois da recessão –, em que o PIB não deve crescer muito mais do que 1%. Entre as causas estão a crise na Argentina, o corte na produção industrial mineral decorrente da tragédia em Brumadinho e um governo com deficiências na coordenação política, o que reduz a confiança do empresariado e do consumidor. Já se fala em “cheiro de recessão”. “O momento é muito ruim. O desempenho, desanimador”, diz o ex-presidente do Banco Central Affonso Celso Pastore.

Postagens mais visitadas deste blog

Gleisi Hoffmann, a senadora dos olhos verdes do PT tinha um amante

Fim da cobrança por marcação antecipada de assento em aeronaves depende agora da Câmara

Grupo Doha apresenta detalhes do porto de Arroio do Sal