Exportação de vinhos brasileiros cresce 325% para os EUA e China



Os Estados Unidos e a China foram os responsáveis por ampliar a exportação das bebidas em 325%, nos últimos cinco anos, de acordo com um levantamento da Ideal Consulting. A consultoria, especializada em inteligência de mercado, apontou que os espumantes nacionais puxaram o consumo no exterior, ultrapassando até mesmo rótulos de Portugal e do Chile no mercado norte-americano. As exportações dos vinhos e espumantes brasileiros aumentaram 30%, chegando às 6,7 milhões de garrafas, com destaque para as bebidas produzidas no Rio Grande do Sul (90,7% das vendas), São Paulo (22,6%) e Paraná (22,2%).

De acordo com Felipe Galtaroça, CEO da Ideal Consulting, há dois fatores importantes que explicam o bom desempenho dos vinhos e espumantes brasileiros no exterior, como a qualidade da bebida e o trabalho dos produtores junto aos importadores.

“O espumante brasileiro, especialmente, tem se tornado um produto importante em países como os Estados Unidos e a China, que vêm crescendo muito o consumo principalmente pela melhora na qualidade das uvas e nas técnicas de vinificação adotadas nas vinícolas brasileiras”, conta.

O trabalho dos produtores brasileiros em abrir novos mercados com os importadores estrangeiros também é apontado como um dos responsáveis pelo salto de consumo no exterior. Estados Unidos e China são responsáveis por 81,6% das exportações de vinhos e espumantes brasileiros.

Os dados levantados pela Ideal Consulting encontram semelhanças com os apurados pela União Brasileira de Vitivinicultura (Uvibra), que aponta um crescimento de 29,85% para os vinhos finos e 12,29 para os espumantes. Para o presidente da entidade, Deunir Argenta, embora o volume exportado ainda seja pequeno, já demonstra que a bebida nacional está sendo reconhecida pelo mundo.

“O mundo está enxergando a melhora na qualidade das nossas uvas e da vinificação, melhoramos muito nos últimos anos. As vinícolas brasileiras têm hoje a mesma técnica e equipamentos utilizados pelos europeus, e isso está sendo reconhecido”, explica.

A isso se soma a participação cada vez maior dos produtores brasileiros nas feiras internacionais de promoção dos vinhos, abrindo novos mercados e chegando até mesmo ao Reino Unido, segundo a Uvibra.

Nos dados consolidados, foram 4,4 milhões de litros de vinhos finos e 771 mil de espumantes exportados em 2020. Já o suco de uva teve uma queda expressiva de 43,13%, passando de 2,4 milhões para 1,3 milhão, segundo a Uvibra.

O ano de 2021 também deve ser de novos recordes de produção e de exportação dos vinhos brasileiros. A safra está estimada em 800 mil toneladas só no Rio Grande do Sul, responsável por 90% da bebida produzida no país.

Postagens mais visitadas deste blog

Gleisi Hoffmann, a senadora dos olhos verdes do PT tinha um amante

Fim da cobrança por marcação antecipada de assento em aeronaves depende agora da Câmara

Grupo Doha apresenta detalhes do porto de Arroio do Sal