Desrespeito a religião- Charges provocam fúria, e se fosse com os cristãos?


Sabemos que a intolerância religiosa é um conjunto de atitudes ofensivas a crenças e práticas religiosas ou a quem não segue uma religião. É um crime de ódio que fere a liberdade e a dignidade humana. Crítica não é o mesmo que intolerância. O direito de criticar encaminhamentos e dogmas de uma religião, desde que isso seja feito sem desrespeito ou ódio, é assegurado pelas liberdades de opinião e expressão. Mas, no caso dos jornalistas franceses, acho que já superou os limites. Neste final de semana uma onda de protestos entre os muçulmanos revela mais ódio e revolta, que certamente em breve irá transformar-se em novos atentados aos países europeus. Tenho impressão que as novas charges já perdem seu efeito e torna-se objeto de pura provocação.A pergunta é: E se as charges fossem contra Jesus e contra os católicos? Tolerância religiosa significa reconhecer que cada povo, cada cultura, cada comunidade tem o direito de possuir sua própria religião e um modo próprio de reverenciar suas divindades. O que é padrão para um, pode não ser para outros, e ninguém tem o direito de impor qualquer religião ou crença a quem quer que seja. Tolerância significa aceitar o que parece errado, entender que o que é errado para uns, e certo para outros.Devemos condenar os atentados em Paris, condeno todos os atentados e toda a violência, mas acho que assim como com os fanáticos religiosos que devem ser punidos, os excessos dos jornalistas, colunistas, chargistas, quem quer seja também devem ser punidos. Por isso tudo, apesar de lamentar e repudiar o ato bárbaro do atentado, eu não sou Charlie. Je ne suis pas Charlie.

Comentários

POSTAGENS MAIS VISITADAS