Chilenos aumentam verba para promover vinho no Brasil

Imagem relacionada

Mas o Chile quer mais. Em passagem pelo Brasil, Angélica Valenzuela, diretora comercial da Wines of Chile, contou que a entidade está aumentando, significativamente, o montante de recursos destinados a promover o vinho chileno em solo brasileiro. “No ano passado, o Brasil representava 8% de nossos recursos, neste ano, serão 15%”, conta ela. Ou seja, o Chile mira o mercado brasileiro para vender mais seus vinhos. Não seria uma ameaça para o vinho nacional se a competitividade estivesse garantida aos brasileiros, porque sob o ponto de vista da qualidade, nosso produto tem bom nível, mas o problema é a tributação.

Atualmente, no ranking dos vinhos importados para o Brasil, o Chile está na liderança absoluta há mais de dez anos. Seu recorde de participação foi em 2016, quando os rótulos do país andino representavam 49,2% de mercado de vinhos importados, em volume. Em 2018, os brancos e tintos do país andino corresponderam a 46% do total das nossas importações, o que equivale a 67 milhões de garrafas. Portugal e Argentina, que se revezam entre o segundo e o terceiro lugar nos últimos anos, não chegam a 20% cada de participação neste segmento

Na estratégia do Wines of Chile, entidade privada que reúne 85 vinícolas do país, o Brasil está entre os três países prioritários. Nosso país está junto com China e Estados Unidos no destino das ações e dos recursos chilenos para a promoção do seu vinho, apesar de ocupar a quinta posição entre os maiores mercados para os brancos e tintos do país.

Nesta nova fase, a estratégia não é apenas crescer por crescer e ganhar participação de mercado. O Chile quer também e, principalmente, vender os seus vinhos mais caros em nosso mercado. Atualmente, a média de preço do vinho importado é de US$ 27,90 FOB, na caixa de 12 garrafas, que entra no Brasil. Mas se analisado apenas o vinho chileno, esta média é de US$ 26,50. “Temos vinhos bons e de maior agregado, que o brasileiro precisa conhecer”, afirma a executiva. ( Suzana Barelli Istoé dinheiro)

Comentários

POSTAGENS MAIS VISITADAS