Nova etapa da pesquisa revela subnotificação de nove por um no RS

​Giovanni si spegne a tre mesi dalla morte della sua amata Luisa. Era ex assessore e anima del paese
A subnotificação constatada nos resultados mostraria que, para cada um registrado, nove são desconhecidos.Com a margem de erro, essa relação fica entre quatro e 16. Das 4,5 mil pessoas entrevistadas e submetidas ao teste rápido para detectar a presença de anticorpos no organismo, 10 tiveram resultado positivo, sendo que quatro são moradoras de Passo Fundo. A nova etapa revelou aumento da prevalência de pessoas com anticorpos: 0,22% dos testados tiveram resultado positivo, enquanto na etapa anterior, o percentual foi de 0,13%. Apesar desse aumento, a prevalência ainda é considerada baixa.As conclusões também mostram que, para cada grupo de 454 habitantes, há uma pessoa infectada. Na primeira etapa esse número era de um para cada 2 mil e na segunda fase, de um para cada 769 habitantes. Outra informação que faz parte das metas do estudo é mostrar a real letalidade da covid-19. Com base nos dados oficiais, cruzando o número de infectados com o número de mortes, a letalidade é de 4%. A partir dos dados estimados a taxa fica em 0,42%. A pesquisa é aplicada em Canoas, Caxias do Sul, Ijuí, Passo Fundo, Pelotas, Porto Alegre, Santa Cruz do Sul, Santa Maria e Uruguaiana. Os dados que embasaram a divulgação desta quarta-feira foram coletados entre os dias 9 e 11 de maio e representam, segundo os pesquisadores, uma realidade de contaminação de duas semanas antes. Quando for concluída, com a última etapa de coletas entre 23 e 25 de maio, o estudo terá entrevistado e testado 18 mil pessoas. A pesquisa gaúcha foi financiada pela Unimed Porto Alegre, o Instituto Cultural Floresta e o Instituto Serrapilheira, do Rio.

POSTAGENS MAIS VISITADAS