Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2017

Delator confirma propina para Aécio

Ex-presidente de infraestrutura da Odebrecht afirma em delação que a empreiteira pagou propina ao tucano Aécio Neves por meio de conta no exterior operada por sua irmã. A informação está publicada na edição deste final de semana da revista Veja. VEJA teve acesso com exclusividade ao conteúdo da delação do ex-­pre­sidente da Odebrecht Infraestrutura, Benedicto Junior, um dos 78 executivos da empreiteira a firmar acordo de delação com a Justiça. Em seu depoimento, BJ, como é conhecido, afirmou que a construtora baiana fez depósitos para Aécio em conta sediada em Nova York operada por sua irmã e braço-direito, a jornalista Andrea Neves. De acordo com BJ, os valores foram pagos como “contrapartida” — essa é a expressão usada na delação — ao atendimento de interesses da construtora em empreendimentos como a obra da Cidade Administrativa do governo mineiro, realizada entre 2007 e 2010, e a construção da usina hidrelétrica de Santo Antônio, no Estado de Rondônia, de cujo consórcio partic

Deltasul abre e Bento segunda

A Deltasul inaugura na próxima segunda feira (03) sua nova loja da rede em Bento Gonçalves. A loja fica localizada na rua Barão do Rio Branco, no centro. A inauguração faz parte do projeto de expansão da empresa na região. A rede de lojas Delta sul vende móveis e eletro e tem quase 100 filiais em vários municípios do Rio Grande do Sul.A Deltasul tem sua Administração e seu Centro de Distribuição localizados no Distrito Industrial, em Santa Cruz do Sul, numa área construída de 50 mil metros quadrados. A loja de Bento Gonçalves conta com toda variedade de produtos nas linhas de móveis, eletrodomésticos, aparelhos de som e imagem, informática, celulares, bicicletas e bazar, totalizando mais de 3,2 mil itens. 

Fimma encerra nesta sexta em Bento

A 13º edição da Fimma Brasil encerra nesta sexta-feira(31)projetando a retomada dos negócios para os fabricantes de máquinas, matérias primas e acessórios para a indústria moveleira. Com o foco na inovação e na tecnologia, todos os expositores apresentaram durante a feira novidades ao setor para ganhar em competitividade. Segundo o último balanço divulgado pela organização, mais de R$ 10 milhões já foram efetivados na Fimma. O número refere-se a 1,2 mil rodadas de negócios concretizados– 50% a mais do que a edição de 2015. Outros R$ 60 milhões estão previstos para serem concretizados nos próximos 12 meses, a partir dos encontros promovidos na feira. Alguns fabricantes apostam em crescimento de 10% a 15% nos próximos meses.

Remédios sobem a partir desta sexta

O Diário Oficial da União publica hoje (31) resolução do Conselho de Ministros da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (Cmed) autorizando os índices do reajuste anual de preços de medicamentos para 2017, que variam de 1,36% a 4,76%. O aumento começa a valer a partir desta sexta-feira (31). De acordo com a resolução, o reajuste máximo permitido é o seguinte: nível 1: 4,76%; nível 2: 3,06; e nível 3: 1,36%.

Cassação da chapa Dilma-Temer terá pedido de vistas

Marcado para começar na terça-feira, 4 de abril, o julgamento da ação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que pode levar à cassação do presidente Michel Temer e à inelegibilidade da presidente cassada Dilma Rousseff, deve ser interrompido por um pedido de vista. Segundo o jornal O Estado de S. Paulo apurou, o ministro Napoleão Nunes já sinalizou que deve pedir mais tempo de análise para se debruçar sobre o caso. O editor já havia antecipado que haveria todo o tipo de recurso para postergar qualquer ação no TSE. Por causa do risco de adiamento, Herman Benjamin já prepara resumo e voto. Vai pedir a cassação da chapa e não irá isentar Temer. Para cassar a chapa, não é necessário, destacam membros do tribunal, que os candidatos tenham ciência dos atos ilícitos. É a chamada "responsabilidade objetiva". Neste caso, considerando a tese, Temer não se livraria. Sem Temer, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), assumiria a vaga de presidente temporariamente. Por

Coca-Cola compra a AdeS

A The Coca-Cola Company, junto com seus engarrafadores na América Latina, anunciou hoje, dia 28 de março, o fechamento da aquisição de AdeS, bebida à base de soja que pertencia a Unilever. A Coca-Cola Company é agora a única proprietária da marca AdeS. Lançada em 1988 na Argentina, AdeS é a marca líder de bebida à base de soja na América Latina. Como primeira grande marca lançada na categoria, AdeS foi pioneira no desenvolvimento do segundo maior mercado global de bebidas à base de soja. A marca está presente no Brasil, México, Argentina, Uruguai, Paraguai, Bolívia, Chile e Colômbia. AdeS fará parte da expansão das plataformas de bebidas da Coca-Cola na América Latina. Nos últimos anos, o Sistema Coca-Cola ampliou sua presença nos negócios de suco, laticínios e café da América Latina, graças à aquisição de marcas importantes como Sucos Del Valle (América Latina), Sorvetes Santa Clara (México), Tonicorp (Equador), Estrella Azul (Panamá) e Verde Campo (Brasil).

União tem 18 mil imóveis desocupados

Os exemplos de desperdício de dinheiro público Brasil afora são muitos, mas nada se compara ao governo federal. Agora surgem dados mais recentes do tamanho do gasto desnecessário com aluguéis e imóveis desocupados. Imóveis desocupados é ainda mais condenável. Não é possível a sociedade pagar para manter prédios desocupados. De acordo com dados do próprio governo, a União tem 91 prédios comerciais desocupados espalhados pelas 27 unidades da Federação, sendo dois deles no exterior. Em Brasília o Bloco O da Esplanada dos Ministérios, com capacidade de abrigar ao menos 1,7 mil funcionários, está vazio há 14 meses – conta apenas com três vigias, que se revezam em rondas feitas nos seis andares, antes ocupados por integrantes do Exército e da Secretaria de Assuntos Estratégicos. Por outro lado, a União gasta todos os anos quantias bilionárias em aluguéis para abrigar funcionários de órgãos ligados ao governo federal. Entre 2011 e 2016, a União desembolsou R$ 7,397 bilhões com aluguéis de pr

Desoneração da folha

Com a missão de cobrir um rombo de R$ 58,2 bilhões do Orçamento deste ano, a equipe econômica deve propor hoje ao presidente Michel Temer a retirada da desoneração da folha de pagamentos para os 54 setores beneficiados pelo incentivo tributário. Polêmico, o benefício foi concedido durante o governo de Dilma Rousseff e custaria R$ 16 bilhões aos cofres do governo federal somente em 2017. A volta da tributação da folha para todos os setores tem potencial para elevar em R$ 8 bilhões a previsão de arrecadação e ajudar a diminuir a necessidade de um corte maior das despesas para tapar o rombo do Orçamento. A meta fiscal do governo para este ano é de um déficit de R$ 139 bilhões. Caso Temer decida por esse caminho, uma medida provisória deve ser enviada ao Congresso, que precisa referendá-la. A MP entraria em vigor três meses a contar da data de sua publicação.  

Definir a idade mínima é o problema

A decisão do presidente Michel Temer de delegar para Estados e municípios a elaboração de leis para a reforma da Previdência estadual e municipal deixa governadores e prefeitos em situação complicada, uma vez que esperavam uma decisão nacional. Definir a idade mínima é o problema. A União pretende exigir essas aprovações em seis meses. Pelos déficits enfrentados, a mudança tem que ser rápida e eficaz mesmo. Estudo feito pelo Ipea e divulgado pelo jornal O Estado de S. Paulo mostrou que 22 Estados e o Distrito Federal estão com Previdência deficitária. Santa Catarina, Minas Gerais e Rio Grande do Sul já gastam 20% da receita com Previdência, uma situação insustentável. O rombo do setor nos Estados subiu de R$ 49 bilhões em 2009 para R$ 77 bilhões em 2015. Somente Estados novos e pequenos como Tocantins, Rondônia, Roraima e Amapá estão no azul. As informações são do DC.

McDonald’s vai comercializar molhos

O McDonald’s do Canadá decidiu iniciar a venda dos principais molhos dos seus sanduíches. Incluindo o molho do Big Mac! A informação foi publicada pelo próprio McDonald’s Canadá em seu perfil no Twitter. Além do molho Big Mac serão vendidos inicialmente os molhos do McChicken e McFish. Já faz tempo que o McDonald’s tem flertado com a venda do seu principal molho para o consumidor. Em 2015 a marca leiloou uma edição limitada do molho ao redor do mundo e chegou até mesmo a vender 100 unidades aqui no Brasil, arrecadando R$ 25,5. As duas ações tinham como finalidade financiar causas sociais realizadas pelo Instituto Ronald McDonald. Não há qualquer previsão de venda do molho aqui no Brasil até o momento.

E se ao invés de aumentar impostos o governo editasse um novo Refis

É sabido que 90% dos empresários pararam de pagar seus impostos devido à crise e a recessão. A partir da autorização de novo Refis, grande parte deles passaria a recolher seus impostos em dia, acrescidos das parcelas já vencidas e financiadas. Não se trata de anistia fiscal. Trata-se de lançar mão de um mecanismo que pode ajudar na arrecadação e recuperação de grande parte de recursos perdidos. Em tempos de dificuldade, o que todos os empresários precisam é de medidas de ajuda e de viabilidade tributária. Embora se saiba que programas de refinanciamento são sempre problemáticos, pois, embutem um incentivo implícito à inadimplência, e consolidam a expectativa de que os beneficiários pagam as primeiras parcelas e depois tendem a voltar a dever, ainda sim, enquanto não tivermos um novo ambiente econômico favorável ao empreendimento, o setor produtivo nacional vai continuar precisando de mecanismos de improviso como os Refis. Mas é óbvio que muito melhor para o desenvolvimento é a criação

TSE fará tudo para preservar o mandato de Michel Temer

Em breve assistiremos a mais espetáculo em Brasília. Um espetáculo que será protagonizado pelo Tribunal Superior Eleitoral. A Corte máxima da Justiça Eleitoral vai “jogar para a torcida”, mas duvido que vá cassar Temer. Relator do processo que poderia resultar na interrupção da presidência de Temer, o ministro Herman Benjamin já concluiu o seu relatório final. O texto contém o conjunto de revelações feitas pelos delatores da Odebrecht. Como todos já sabem, são revelações devastadoras. Não deixam dúvidas quanto aos abusos cometidos na campanha vitoriosa na eleição presidencial de 2014. Mas o TSE fará tudo para preservar o mandato de Michel Temer. Vocês verão! Em suas defesas finais, Temer e Dilma pediram ao relator que anulasse os depoimentos dos delatores da Odebrecht. Queriam calar as denúncias antes que chegasse ao plenário do TSE. O certo é que todos, inclusive Michel Temer, dão como certo que não haverá interrupção do mandato do atual presidente. Vai começar o espetáculo que i

Prêmio Qualidade RS 2017

Já estão abertas as inscrições para o Prêmio Qualidade RS 2017, promovido pelo Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade (PGQP). As organizações interessadas em concorrer na 22ª edição do PQRS podem efetuar sua inscrição diretamente no Portal do PGQP. O prazo para inscrição termina no dia 10 de abril. A solenidade de premiação acontecerá em setembro.

Bento sedia 15º Concurso Nacional de Vinhos Finos e Destilados

Bento Gonçalves receberá entre os dias 4 e 7 de abril próximo, o CMB – BRASIL a versão brasileira do mais importante concurso de vinhos e destilados do mundo, o Concours Mondial de Bruxelles, em sua 15ª edição no Brasil. A competição avaliará apenas vinhos e destilados brasileiros e tem o objetivo de promover o setor vitivinícola no país revelando os melhores rótulos, sejam eles de pequenos ou grandes produtores, projetando-os internacionalmente. As degustações e avaliações acontecerão em sessões fechadas a partir de 4 de abril no Hotel SPA do Vinho e a divulgação dos resultados será no último dia de trabalho. O 15º Concurso Nacional de Vinhos Finos e Destilados/CMB Brasil tem a organização da empresa belga Vinopres com o apoio da revista “Vinho Magazine”, do Ibravin- Instituto Brasileiro do Vinho, do Governo do Rio Grande do Sul, da SPVinho, do IBRAC, da APRODECANA e SPA do Vinho.

PSDB recua e isenta Temer em ação para cassar chapa

Autor da ação sobre suposto abuso de poder político e econômico da chapa Dilma Rousseff-Michel Temer nas eleições de 2014, o PSDB citou nas alegações finais entregues ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) episódios investigados na Lava Jato para tentar incriminar a petista, mas isentou o peemedebista. No trecho dedicado a Temer, os advogados do PSDB afirmam: “Ao cabo da instrução destes processos não se constatou em nenhum momento o envolvimento do segundo representado (Temer) em qualquer prática ilícita. Já em relação à primeira representada (Dilma), há comprovação cabal de sua responsabilidade pelos abusos ocorridos”. Hoje aliado do governo, o PSDB, na ação inicial encaminhada ao TSE no final de 2014, considerava Dilma e Temer “réus”. O relatório do processo foi distribuído ontem pelo ministro-relator Herman Benjamin aos demais integrantes do TSE. Apesar de contraditório, é bem possível mesmo que em muitas ocasiões o vice não saiba o que faz o presidente.

Tributação dos vinhos foi pauta de encontro com o Ministro Meirelles em Brasília

Na última sexta-feira (24) representantes do setor vitivinícola, políticos e autoridades municipais estiveram reunidos em Brasília com o Ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. Na audiência, assuntos como a redução do IPI e o descaminho foram abordados pelos dirigentes. Em 2015, o Governo da União alterou, através da MP 690/2015, a forma de cobrança do IPI para vinhos e outras bebidas. Por essa medida, o Governo deixou de usar uma Tabela de Incidência do IPI, com valores fixos, para aplicar diretamente sobre o preço de saída da indústria o valor da alíquota. Conforme o Decreto nº 8.512, de 31/08/2015, o IPI foi estabelecido em 10% para vinhos, 25% para a cachaça e 30% para os destilados, entre outras bebidas. Ainda em 2015 foram alteradas, através do Decreto nº 8.422, de 29/04/15, o IPI para as chamadas bebidas frias (águas, cervejas e refrigerantes). As novas alíquotas de IPI para essas bebidas contemplaram reduções de no mínimo 50%, em relação à norma vigente até então. A cer

Impacto na economia será menor

Pesquisa do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas mostra que apenas 9,6% das pessoas que sacarão dinheiro das contas inativas do FGTS vão gastá-lo com compras e lazer. A maioria, 65%, pretende pagar dívidas ou poupar. O levantamento da FGV, realizado em sete capitais, concluiu que dos R$ 43,1 bilhões que serão sacados até julho, só R$ 3,7 bilhões devem ser usados em consumo. Isso significa que o impacto na economia esperado pelo governo pode ser mais gradual.

Fundos de pensão registraram um deficit acumulado de R$ 71,7 bilhões em 2016

Os fundos de pensão registraram um deficit acumulado de R$ 71,7 bilhões em 2016, conforme dados divulgados pela Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar (Abrapp). Pelo menos 80 fundações tiveram resultado negativo em 205 planos de benefícios, uma queda em relação ao resultado de 2015, quando 92 fundos de pensão tiveram um rombo de R$ 76,7 bilhões.A Abrapp ainda destaca que 88% do deficit acumulado no ano passado, o equivalente a mais de R$ 63 bilhões, se refere ao resultado de 10 planos de benefícios. Por outro lado, o número de fundações com superativ passou de 127 em 2015, para 138 no em 2016. O resultado positivo passou de R$ 13,9 bilhões, para R$ 18,2 bilhões.O patrimônio total dos fundos de pensão chegou a R$ 790 bilhões em dezembro passado e passou a corresponder a R$ 12,6% do Produto Interno Bruto (PIB). Os dirigentes do setor apostam na aprovação da adesão automática dos participantes para que as entidades fechadas voltem a crescer.

Reforma da previdência vai requer esforço nos estados

A decisão do presidente Michel Temer de excluir servidores estaduais da reforma da Previdência que está em discussão no Congresso vai exigir dos Estados um esforço político para alterar suas regras de aposentadoria nas Assembleias Legislativas. Se isso não for feito, o rombo continuará crescendo e reduzirá drasticamente a capacidade financeira de quase todos os Estados do País. É o que mostra estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea): 22 dos 26 Estados brasileiros operam com déficit na Previdência, além do Distrito Federal. Em apenas seis anos – entre 2009 e 2015 (último dado disponível) –, o rombo passou de R$ 49 bilhões para R$ 77 bilhões, em valores atualizados. O número de inativos subiu 25%. Para pagar os aposentados, os Estados usam o dinheiro do seu caixa e a parcela comprometida, na média, subiu de 9,5% para 13,2%. Santa Catarina, Minas Gerais e Rio Grande do Sul já gastam mais de 20% da receita com Previdência

Construção do presídio em Bento avança mais um pouco

Mais um passo dado em direção a solução definitiva da construção do novo presídio em Bento Gonçalves. O modelo de negócio- de permuta, que foi tão bem proposto pelo prefeito de Bento, Guilherme Pasin ao Estado, está consolidado. Até março de 2018, a iniciativa privada deverá construir um presídio fechado, com cerca de 500 vagas, e um do regime semiaberto, com 150 vagas. Em troca, o vencedor da licitação a ser lançada até o final de abril, receberá três terrenos em área nobre da cidade – dois do Daer e o que abriga o presídio atual, no centro, avaliados em R$ 40 milhões. A garantia foi dada ao prefeito de Bento e lideranças comunitárias pelo secretário de Modernização Administrativa e Recursos Humanos (Smarh), Rafaelle Di Cameli, na última quinta-feira (23) em reunião na prefeitura. Técnicos da Secretaria, Procuradores, Fazenda, SSP e Susepe acompanharam a explanação. O novo presídio fechado será construído na Linha Palmeiro. O local do semiaberto, que precisa de um terreno de 50m x

Ministro da Saúde em Bento

Na tarde desta sexta-feira, 24, cumprindo agenda no Estado do Rio Grande do Sul, o ministro da Saúde, Ricardo Barros, esteve em Bento Gonçalves. A visita em Bento Gonçalves é fruto de um pedido pessoal do prefeito de Bento Gonçalves, Guilherme Pasin, quando de sua estada em Brasília há poucos dias atrás. Pasin pediu ao ministro Barros, ambos do PP, que estivesse em Bento para conhecer as obras de construção do complexo de saúde do trabalhador. O Ministro juntamente com, a senadora Ana Amélia Lemos, o vice-presidente Corporativo da Caixa Econômica Federal, Antônio Carlos Ferreira estiveram na UPA, e além do Complexo Hospitalar, conheceram as obras de construção do laboratório de patologia, que está em fase final de construção. A articulação de Pasin garantiu, ainda, a presença do ministro no Hospital Tachini, onde conheceram a área de Oncologia e Radioterapia que atende a convênios e SUS. Na ocasião, foram assinados contratos das linhas de crédito “Caixa Hospitais e BNDES Saúde”, des

Apex prepara mostra de designers brasileiros em Milão durante o iSaloni

Entre os dias 4 e 9 de abril será realizado o Salão Internacional do Móvel de Milão (iSaloni). Em paralelo, na Universitá Degli Studi di Milano, 60 empresas brasileiras vão compor a primeira edição da mostra Be Brasil, organizada pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex Brasil). A exposição tem com intuito evidenciar os principais atributos do design brasileiro.

Movelsul 2018 começa na Fimma

Será durante a Fimma, que o Sindmóveis lançará oficialmente a próxima edição da Movelsul Brasil 2018. A 21ª edição da feira de móveis e complementos para o lojista e importador, será realizada de 12 a 15 de março de 2018. Serão quatro dias de duração, atendendo à sinalização das indústrias participantes e visitantes. São esperados 200 expositores dos segmentos de escritório, cozinha, dormitórios, área de serviço, banho, móveis para jardim, eletros, copas, salas de jantar e estar, tapetes, estofados e colchões.

Lojas físicas x e-commerce

A aceleração do uso do e-commerce tem movimentado o varejo no país e se tornado uma saída para a crise que afetou as grandes redes brasileiras. O Magazine Luiza, por exemplo, uma das maiores redes brasileiras, reverteu o prejuízo de R$ 65,6 milhões de 2015 em lucro líquido de R$ 86,6 milhões no ano passado. Enquanto que o crescimento nas lojas físicas foi de 6%, no comércio eletrônico a alta foi de 41,4% no faturamento na comparação anual. Com foco na nova geração de consumidores, que compram por meio de dispositivos móveis, pensando na praticidade e priorizando mais a economia de tempo gasto com as compras, as grandes lojas físicas enfrentam o novo desafio estabelecido pelo mercado digital. É hora de renovar.

Lula, em campanha, mobiliza nordestino em torno da transposição do São Francisco

Uma grande festa popular, recheada de sinais políticos de uma nova candidatura da dupla Lula e Dilma marcaram o inicio do abastecimento de água pela canalização do Rio São Francisco em parte do sertão e das regiões do agreste de Pernambuco e da Paraíba.A previsão inicial, no início do governo Lula, em 2002, era de que a transposição fosse concluída em 2012, depois adiada para 2015. Mas as obras só começaram em 2007. Quem inaugurou, portanto, a construção, foi o presidente Michel Temer, no último dia 10, que, inclusive, prometeu finalizar o projeto até o fim do ano. Mas Lula foi lá para lembrar ao povo de que as obras são dele e que ele será candidato em 2018.O evento, além de várias autoridades do PT e de seus aliados, contou também com a presença do ex-governador do Ceará Ciro Gomes (PDT), que foi ministro de Integração, há 10 anos, quando Lula tirou o projeto quase bicentenário do papel.Dilma, que foi a primeira a falar à multidão, deu o tom político ao evento e deixou claro que L

Fimma Brasil abre terça em Bento Gonçalves

A 13ª FIMMA Brasil- Feira Internacional de Máquinas, Matérias-Primas e Acessórios para a Indústria Moveleira, abre na próxima terça-feira (28) em Bento. A feira é hoje a quinta maior do mundo no segmento moveleiro e tem o objetivo de apoiar o desenvolvimento do setor através da apresentação de tecnologias, insumos e equipamentos de ponta que se transformarão em oportunidades de negócios. Há muito otimismo entre os expositores e invariavelmente, todos, estão com novidades e lançamentos na feira. A FIMMA é a esperança da retomada dos negócios para muitos fabricantes brasileiros. Durante quatro dias, o evento espera receber 30 mil visitantes do Brasil e do exterior. Além da exposição, a FIMMA tem importantes projetos paralelos e eventos. Entre eles, o Projeto Comprador, que possibilitará o contato direto entre importadores e exportadores brasileiros. O projeto terá rodadas de negócios e visitas técnicas previamente agendadas.

Sobre terceirização

Tramitando por nove anos, o projeto de terceirização foi aprovado nesta semana na Câmara e no Senado. Já não era sem tempo. Polêmico, como todo projeto modernizador da legislação trabalhista, o de regulamentação do trabalho terceirizado enfrenta feroz oposição de dirigentes sindicais. Mas, ao contrário do que afirmam os sindicalistas, que o acusam de "precarizar" o trabalho terceirizado, o projeto estabelece garantias e direitos que não existem hoje, elimina riscos de os profissionais serem manipulados por empresas de fachada ou agenciadoras de mão de obra e, na essência, combate a precariedade das regras atuais.  A principal novidade é que amplia para as atividades-fim das empresas o que já era permitido para as atividades-meio. Ou seja, embora não houvesse legislação específica, uma súmula do Tribunal Superior do Trabalho proibia que empresas contratassem trabalhadores terceirizados para desempenhar tarefas diretamente ligadas aos seus negócios. Só podiam ser terceiriz

Generalização indevida

O tamanho do prejuízo ao país causado pela precipitação da polícia federal em vazar informação sobre a operação carne fraca será medido no longo prazo. No curto prazo as perdas já são enormes. Passado o impacto inicial fica evidente que há diversos fios soltos que ainda precisam de esclarecimentos. Mas porque a operação que tinha por objetivo apurar corrupção entre fiscais e fabricantes acabou se tornando caso de saúde pública? Bem , inicialmente não podemos deixar de aplaudir a constatação da PF de que há frigoríficos adulterando alimentos e colocando no mercado carne vencida ou estragada. E de que há um esquema de corrupção e extorsão envolvendo agentes, ou seja de que as nomeações políticas eram o tom no Ministério da Agricultura e nos serviços de inspeção sanitária. Mas a divulgação das informações levantadas pela Carne Fraca pecou, e muito, ao criar uma impressão equivocada sobre a dimensão do esquema. A generalização indevida mostrou que não houve consciência do impacto econômic

Aumento de impostos será inevitável

O presidente Michel Temer já sabe que não haverá como o governo fechar as contas e entregar um deficit máximo de R$ 139 bilhões neste ano, como prometido pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles sem aumento de impostos. Todos os números fechados pela equipe econômica, que estão sendo analisados, mostram que, sem aumento de impostos não tem como. A perspectiva é de que o governo aumente o PIS e a Cofins incidentes sobre os combustíveis. As alíquotas devem subir cerca de 10%. Meirelles já deu declarações sobre isso. A primeira providência será a retirada de isenções concedidas há alguns setores, a segunda será o IOF de depois o PIS e o Cofins.

Vinhos brasileiros na ProWein, em Duseldorf, na Alemanha

A participação de 10 vinícolas brasileiras na ProWein, em Duseldorf, na Alemanha, deve resultar em negócios de US$ 950 mil. A projeção é das empresas que estarão no estande J28, no hall 9, entre os dias 19 e 21, naquela que é considerada a maior feira de vinhos do mundo. A ação é do projeto setorial Wines of Brasil, desenvolvido pelo Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), por meio do Fundo de Desenvolvimento da Vitivinicultura do RS (Fundovitis) em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). A participação na ProWein é considerada estratégica por atrair compradores de todo o mundo, em especial os do velho continente. Em 2016, as vinícolas brasileiras ampliaram o valor das exportações para os países europeus em 10% em relação ao ano anterior, com a comercialização de US$ 1,24 milhão. Em volume, as vendas atingiram 272,2 mil litros, alta de 7,6% sobre 2015, remetidos para 11 países.

A corrupção chega à nossa mesa

A corrupção, disseminada no país, chegou à mesa dos brasileiros. A Operação Carne Fraca, da Polícia Federal, mostrou que grandes frigoríficos, subornaram, pelo menos, 33 fiscais agropecuários para garantir a liberação de produtos deteriorados no mercado interno e para exportação. Carnes bovina e de frango e embutidos (linguiça, mortadela e salsicha) estragados eram maquiados com produtos químicos, para enganar o consumidor. A saúde dos consumidores foi exposta ao ingerir produtos bovinos e de frango deteriorados. A situação é mais grave ainda diante de um sistema falido de fiscalização pública, que não consegue garantir segurança alimentar à população. Há pelo menos dois anos, o brasileiro vem sendo vítima do ato criminoso dos grandes frigoríficos. Os responsáveis não podem ficar impunes. Os diretores das empresas têm que ser responsabilizados penalmente. Fraudes de tamanha dimensão não ocorrem sem o sinal verde do dono do negócio .

Chocolates e Páscoa

A Associação das Indústrias de Chocolate de Gramado (Achoco) prevê um crescimento de 8% a 10% nas vendas de Páscoa deste ano em relação a 2016. Em Gramado são cerca de 30 fábricas. Já entre os supermercados gaúchos, de acordo com a Associação Gaúcha de Supermercados, os consumidores vão comprar 12% menos ovos de Páscoa neste ano. O espaço no carrinho será ocupado por barras de chocolate, bombons e tabletes. Ainda assim, serão 8 milhões de ovos de chocolate comercializados até 16 de abril, domingo da comemoração de Páscoa. Os preços dos ovos de Páscoa subiram 8,5%, acima da inflação.

Nenhum frigorífico gaúcho está envolvido no caso da carne. Não seria hora de investir em publicidade?

A crise é a oportunidade para quem não deve. As mais recentes notícias são de que os frigoríficos gaúchos não estão envolvidos no escândalo da carne podre. Então é hora de aproveitar e tornar marcas mais conhecidas e fortes. A Operação Carne Fraca, da Polícia Federal, não só apontou para a existência de um suposto esquema de corrupção entre frigoríficos e fiscais agropecuários do Ministério da Agricultura, como colocou em dúvida a qualidade dos produtos vendidos por duas gigantes brasileiras do setor de carnes: JBS, dona das marcas Friboi Seara e Big Frango, e a BRF, dona da Sadia e Perdigão. O prejuízo para a credibilidade destas marcas é incalculável. As empresas envolvidas detêm 60% do mercado brasileiro.

Gás aumenta 9,8% terça, dia 21

A Petrobras anunciou nesta sexta-feira (17/3) que o gás de cozinha vai ficar mais caro. Os botijões de até 13 kg serão reajustados em 9,8%, a partir da próxima terça-feira dia 21. O reajuste será aplicado apenas no gás de uso residencial, não valendo para o gás de uso industrial.

Temer convoca para este domingo reuniões para tratar de impactos da operação Carne Fraca

Com a crise aberta pela Operação Carne Fraca, o presidente Michel Temer convocou para este domingo (19), reuniões com o ministro da Agricultura, Blairo Maggi; o ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, e representantes de frigoríficos. Às 14 horas, Temer fará um primeiro encontro apenas com Maggi, no Palácio do Planalto. Em seguida, recebe também Pereira e os representantes dos frigoríficos. O governo está preocupado com o impacto da operação nas exportações de carnes e outros produtos animais. Os prejuízos ganham proporção se considerado que o Brasil é o maior exportador de carnes bovina e de frango do mundo, com consumidores em quase todos os continentes, com destaque para China, Irã Rússia e Chile, entre os principais compradores.

Setor vai precisar de muito marketing para recuperar prejuízo

Os efeitos da Operação Carne Fraca serão devastadores tanto no mercado interno como no externo. Queda no consumo, perda de importantes compradores no exterior e credibilidade das marcas. Como saber exatamente se o que o consumidor está adquirindo é de boa qualidade? Alguém confia? Fiscais corruptos, indicações políticas, e empresários irresponsáveis. O setor terá que se reinventar. As indústrias gastam fortunas em marketing para apregoar as qualidades dos produtos mas não tem a capacidade, ou não querem, aplicar o mesmo investimento em controle e repressão a atuação de fiscais corruptos.

Elevação de PIS e Cofins sobre combustíveis ajudaria a cobrir rombo das contas públicas

A elevação de PIS e Cofins sobre gasolina e diesel é a alternativa de alta de tributo considerada mais viável pela área técnica do governo para ajudar no cumprimento da meta fiscal de 2017. A medida pode garantir arrecadação extra de R$ 3 bilhões. Apesar da promessa do presidente Michel Temer de não aumentar a carga tributária, a alta de impostos é discutida pela equipe econômica como forma de ajudar a tapar o buraco detectado nas contas. O governo precisa de R$ 40 bilhões para fechar o orçamento dentro da meta fiscal, que prevê déficit de R$ 139 bilhões. Nesta semana, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse que o corte no orçamento, que deve ser anunciado na próxima semana, poderá ser reduzido ao longo do ano com o aumento de impostos. A elevação do Imposto de Operações Financeiras (IOF) sobre algumas operações de câmbio (que hoje já são tributadas em 0,38%) e de crédito (como o rural e o do BNDES, hoje não tributadas) também está em análise.  

Prefeito de Bento consolida oportunidades para concessões e parcerias público privadas

Um governo de parcerias com a iniciativa privada. Esse foi o principal recado do prefeito de Bento Gonçalves Guilherme Pasin durante palestra a cerca de 150 empresários no Centro da Indústria, Comércio e Serviços do município na última segunda-feira (13). O prefeito apresentou um pacote de equipamentos públicos e serviços que serão passíveis de estudos para parcerias público privadas, contratos de terceirização e concessões. “Estamos abertos a ouvir propostas e sugestões”, disse Pasin. As concessões são e continuarão sendo, num futuro próximo a saída mais inteligente para os municípios gerirem melhor o patrimônio público e oferecer mais e melhores serviços à população, sobretudo em um cenário de crise e de queda na arrecadação. Veja quais as oportunidades em que a prefeitura de Bento esta aberta a receber propostas: o Concessão para a Gestão da iluminação pública o Concessão pública para exploração de serviços em espaços públicos (Praça Achiles Mincarone, Praça Centenário, e outras) o

Nesta sexta, dia 17 tem Garibaldi Vintage

Tradicional evento temático que reúne visitantes e moradores ao longo da rua Buarque de Macedo, o Garibaldi Vintage acontece nesta sexta, dia 17 com gastronomia, espumantes e shows. A presença de diversos carros antigos e a caracterização de parte do público, lembrando o período homenageado, também são destaque. Tudo ao ar livre a partir das 19h no Centro Histórico do Município - Garibaldi.

Movelpar termina hoje em Arapongas. Setor espera retomada a partir da feira

A 11ª edição da Movelpar, que termina nesta quinta no Expoara, em Arapongas/PR, tem sido palco para lançamento de novas tendências e soluções no mobiliário. Norteados por estudos focados no design, com tendências em cores, revestimentos e funcionalidades no setor, os expositores continuam seguindo a mesma receita de sempre nas feiras do setor: a de apresentar rodutos que buscam atender às necessidades atuais do consumidor brasileiro. A Telasul ( Garibaldi) lança com exclusividade na Movelpar, a cozinha Turquesa. A linha traz uma série de diferenciais, entre eles, puxador em alumínio, pés cinzas quadrados com regulagem de altura; porta com estampa suave e elegante; opção de paneleiro com 500mm de profundidade. Disponível em modulação completa, inclusive com armários de canto, complementos e com o paneleiro com maior espaço interno do mercado, a linha já está disponível para venda. A Bertolini ( Bento Gonçalves) apresenta na feira toda a linha de cozinhas de aço com destaque para cri

A preocupação agora, da sociedade, é com a velocidade do processo.

A primeira “lista de Janot”, que já completou dois anos pedia a abertura de 28 inquéritos contra 49 parlamentares. As investigações resultaram em cerca de 20 denúncias ao Supremo, das quais sete foram aceitas – como duas delas envolviam o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, que perdeu o foro privilegiado, há atualmente cinco ações penais oriundas da Lava Jato no Supremo – e nenhuma, até agora, foi julgada. Por mais que seja preciso levar em consideração que o trâmite no STF envolve formalidades e prazos inexistentes em outras instâncias, é um ritmo que contrasta, e muito, com as ações que correm em Curitiba e, depois dos desdobramentos promovidos por Teori Zavascki, também em outras cidades, como Brasília e Rio de Janeiro. Esse contraste reforça a noção popular de que os políticos realmente são privilegiados quando se trata de enfrentar a Justiça.

Lista de Janot tem mais um ministro e 5 governadores

Outros 22 nomes de políticos incluídos na lista do procurador- geral da República, Rodrigo Janot, foram revelados ontem pelo “Jornal Nacional”, entre eles os de cinco governadores: Luiz Fernando Pezão (PMDB), do Rio; Fernando Pimentel (PT), de Minas; Beto Richa (PSDB), do Paraná; Renan Filho (PMDB), de Alagoas; e Tião Viana (PT), do Acre. Além deles, estão na lista Marcos Pereira (PRB), ministro da Indústria e Comércio; os senadores Lindberg Farias (PT), Jorge Viana (PT), Marta Suplicy (PMDB) e Lídice da Mata (PSB) e deputados federais. Procuradores identificaram quatro tipos de doações criminosas a políticos: além do caixa 2 tradicional, houve doações pelo caixa 1 com dinheiro de propina, pelo caixa 2 com recursos da corrupção e pelo caixa 2 para enriquecimento pessoal. Dois delatores da Andrade Gutierrez disseram que Sérgio Cabral recebeu propina pelo caixa 1. Pois bem, a comparação com a primeira lista de Janot, divulgada há dois anos, ilustra a complexidade do processo. Oura concl

A nova lista

Enquanto a imprensa se apressa a colocar na berlinda os nomes dos políticos que integram a nova lista de delações da Odebrecht, é importante ressaltar que o envio do pedido ao Supremo não antecipa culpas. Ao fazer o pedido, a Procuradoria relata fatos e pessoas que, segundo entendimento de Janot, devem ser investigados. Porém, caberá ao ministro Fachin decidir se o pedido vai gerar um inquérito ou se será arquivo. Para o País, quanto mais rápidos forem os procedimentos, melhor. Porém, sem se perder o rigor jurídico nas investigações e possíveis julgamentos. É bom lembrar que a lista anterior com 50 nomes, enviada ao Supremo ainda em 2015, gerou a abertura de 25 inquéritos, mas, até aqui, apenas quatro investigados se tornaram réus. De qualquer forma sabe-se de antemão que a lista de possíveis investigados envolve importantes autoridades da nação e para evitar especulações, o ideal é que o caso ganhe máxima transparência com as informações se tornando públicas em conjunto.

Famurs não concorda com retiradas de policiais do interior para atuar na capital

A Famurs manifestou, nesta terça-feira (13/3), posição de repúdio à decisão do Governo do Estado de retirar 400 policiais militares de municípios do interior. De acordo com a entidade a medida agrava a situação de insegurança nas cidades gaúchas.  A FAMURS entende que a solução para o problema da criminalidade na Região Metropolitana não está na remoção de policiais do interior. De acordo levantamento feito pela entidade, 60% das cidades do Rio Grande do Sul têm menos de dois PMs atuando por turno.

Crescimento do Brasil em 2017 virá do campo

Impulsionada por uma safra recorde de grãos que pode chegar a 217 milhões de toneladas -, a agropecuária brasileira pode crescer até 9% em 2017 e contribuir com praticamente metade da expansão prevista para o Produto Interno Bruto (PIB) do país neste ano. O setor deve contribuir com 0,22 ponto percentual dentro do incremento de 0,48% esperado para a economia nacional, conforme o mais recente boletim Focus, do Banco Central.

A herança do governo Tarso no Badesul

A sindicância que apurou calotes de R$ 157 milhões sofridos pelo Badesul responsabilizou 23 pessoas, a maioria por improbidade administrativa, pelas falhas nos contratos de financiamento com as empresas Iesa Óleo e Gás, Wind Power Energy e D'Itália Móveis. Entre os apontados, estão Marcelo Lopes, ex-presidente do banco, e Lindamir Verbiski, ex-diretora de Operações. Ambos foram indicados como responsáveis nos três financiamentos que geraram prejuízo ao Badesul, banco gaúcho de fomento controlado pelo governo estadual e irrigado por recursos públicos. O resultado foi anunciado oficialmente nesta segunda-feira. Coordenadora da sindicância, a procuradora Adriana Krieger destacou que ficou demonstrada a deliberação para fragilizar e acelerar os procedimentos de avaliação de crédito entre 2011 e 2014. Naquele período, durante o governo Tarso Genro, a estratégia do banco era apostar em política agressiva de concessão de financiamentos como forma de aquecer a economia. Os casos investiga

Caixa 2 sempre foi reinante no País’, diz Emílio Odebrecht

O empresário Emílio Odebrecht afirmou em depoimento ao juiz Sérgio Moro que caixa 2 na política sempre houve no País. Emílio admitiu que as três gerações da família à frente da empresa – ele, o pai, Norberto Odebrecht, fundador do grupo, e o filho, Marcelo – fizeram repasses ilegais a políticos e campanhas: “Isso (caixa 2) sempre foi o modelo reinante no País e que veio até recentemente. Porque houve o impedimento e foi a partir de 2014 e 2015. Mas, até então, sempre existiu, desde a época do meu pai, da minha época e também de Marcelo, de todos aqueles que foram executivos do grupo”. Ele disse que, “com certeza”, o ex-ministro Antonio Palocci era uma das pessoas identificadas como “Italiano” na empresa e que não tinha dúvida de que ele intermediou pagamentos ilegais ao PT. O ex-ministro José Eduardo Cardozo (PT) disse em depoimento que a prática de caixa 2 deve ser dissociada de outros crimes. As informações são do UOL.

Lula foi depor como réu

Em depoimento de cerca de uma hora à Justiça Federal de Brasília nesta terça-feira (14), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva negou que tenha atuado para obstruir a Operação Lava Jato. Normal. Disse o que já se esperava e disse também, em alusão a investgações envolvendo seu nome, que há três anos vem sendo vítima de um "massacre". Tadinho ! Lula é um dos sete réus em ação penal que investiga suspeita de obstrução dos trabalhos da Lava Jato. O processo, aberto em julho do ano passado, investiga se houve uma tentativa do grupo de convencer o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró a não fechar acordo de delação premiada.

Movelpar 2017 começa nesta segunda-feira

Abre nesta segunda-feira (13) a 11ª edição da Movelpar – Feira de Móveis do Paraná. O evento segue até quinta-feira (16), com visitação das 13 às 20 horas no Expoara – Centro de Eventos em Arapongas/PR. A Feira movimenta fortemente a economia local – só a montagem da Feira gerou 800 empregos diretos e mais 3 mil indiretos, entre montadoras, transportadoras, empresas de limpeza, buffets e outros prestadores de serviços. A Movelpar 2017 receberá um total de 168 empresas expositoras, fabricantes de móveis para quartos, salas, cozinhas e escritórios, além de fabricantes de colchões e eletrodomésticos, que devem introduzir novas tendências no mercado moveleiro. Cerca de R$ 600 milhões estão previstos na comercialização por negócios gerados no evento e pós-evento.

Serra Gaúcha conta agora com mais uma opção em rádio FM, a Jovem Pan.

Depois de estrear na região metropolitana, e tendo como estúdio principal a cidade de Montenegro, o Grupo RSCOM de Comunicações com sede em Bento Gonçalves firmou parceria com a rede de Rádios Jovem Pan. No Vale dos Sinos e Região Metropolitana, a Jovem Pan transmite em 90,7 FM. Agora o grupo, sob comando da família Piccoli, anuncia a estreia na Serra Gaúcha, com estúdio em Bento Gonçalves no canal 92,5 FM. A Rede Jovem Pan está entre as maiores redes de rádio do país. Voltada ao público jovem e com músicas internacionais predominando na estação, a Jovem Pan FM-JP SAT vai chamando cada vez mais ouvintes para a emissora. A rede que possui a FM, AM e a nova JP News que é composta por mais de 130 emissoras, sendo que só a FM possui 55 emissoras espalhadas pelo Brasil.Nesta segunda-feira a RSCOM apresentou ao mercado publicitário a novidade durante um café da manhã em hotel da cidade. A Jovem Pan 92,5 FM entra no ar nesta terça-feira, dia 14.

Expodireto 2017 termina com otimismo

A Expodireto Cotrijal 2017 chegou ao fim nesta sexta-feira (10) em Não-Me-Toque, movimentando cerca de R$ 2,1 bilhões em comercialização, aumento de 34% sobre a do ano passado. Durante a feira, a Emater anunciou a estimativa de uma safra recorde no estado, de 30,8 milhões de toneladas de grãos. O público total, de 240,6 mil pessoas, também superou os 210 mil do ano passado.

Dóri, o “mídia-men”

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), tem conseguido apelo popular, graças ao seu show particular em ações púbicas. Doria colou em si a imagem do “João trabalhador”: veste-se de gari para varrer ruas, faz visitas surpresas em repartições públicas e angaria doações milionárias de empresas para os serviços públicos. Tudo devidamente divulgado nas redes sociais. Entre 1.º de janeiro e 8 de março, a página de Doria no Facebook, que tem mais de 2 milhões de seguidores (contra 850 mil de Alckmin), publicou 194 mensagens, com uma média de 73 mil curtidas e 15 mil compartilhamentos. As postagens na página do senador Aécio Neves, que tem mais de 4 milhões de seguidores, raramente passam das 2 mil curtidas, enquanto é comum que Doria passe das 100 mil. Muitos dos vídeos da página ultrapassam 2 milhões de visualizações. Doria realmente está fazendo coisas extraordinárias na comunicação, mas estes números também revelam que a população tem interesse em acompanhar instantaneamente o que est

Brasília estremece

A última edição da revista Istoé informa que no aguardo dos pedidos de inquéritos do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, Brasília estremece. Políticos aflitos com o que poderá ser revelado. Na última quinta-feira 9, enquanto o meio político aguardava em estado de tensão e pânico a bombástica lista de pedidos de inquéritos com base nas 77 delações da Odebrecht, Janot almoçava sushi em um restaurante de Brasília, com o terno pendurado na cadeira. Tratava-se de uma pausa em meio ao ritmo frenético de trabalho, diz a revista. Na expectativa de um volume colossal de depoimentos, o STF recomendou aos veículos de comunicação que entregassem, cada um, na última semana, dois HDs de 1 terabyte cada, para que sejam armazenados os pedidos de inquéritos e as delações.

Sem saída políticos não querem perder o foro privilegiado

Com o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, prestes a apresentar mais uma lista de políticos a serem investigados na Lava-Jato, muitos políticos miram o futuro de olho no foro privilegiado. Ninguém quer correr o risco de ser julgado por Sérgio Moro e fazer companhia a Eduardo Cunha em Curitiba. Já tem até senador pensando em concorrer a mandato de deputado federal só para manter o foro. Nesse movimento em busca da sobrevivência, Renan Calheiros, o líder do PMDB, planeja a candidatura à reeleição. Com Lava-Jato e tudo, buscará manter o status político que tem hoje. E, se possível, presidir o Senado. Lula já anda confirmando que será candidato à presidência em 2018. Falta combinar com os eleitores e o caso de Renan, com os futuros senadores.

Em 3 anos de Operação Lava Jato, 125 pessoas foram condenadas

Há sinais evidentes de que o fim da operação Lava Jato está cada vez mais próximo. Iniciada em abril de 2014 a operação Lava Jato completou neste final de fevereiro 34 meses e já se encontra na sua trigésima oitava fase. Ela é prolongamento, a segunda etapa da ação penal 470. A grande incógnita é se a Lava Jato, às vésperas do seu fim terá condições de ferir mortalmente Lula. O Estadão e a Folha, temendo a popularidade de Lula, publicaram matérias neste último final de semana antevendo a prisão e a inelegibilidade dele em 2018. Pedem pressa a Sérgio Moro. Não há mais dúvidas do envolvimento de Lula. A dúvida é se ele será punido ou não. Em 3 anos de Operação Lava Jato, 125 pessoas foram condenadas a 1.317 anos de prisão por crimes como corrupção, lavagem de dinheiro, crimes contra o sistema financeiro e organização criminosa. 78 acordos de delação e foram firmados, 57 acusações criminais foram feitas contra 260 pessoas. As ações pedem o ressarcimento de R$ 38,1 bilhões. R$ 3,2 bilhões

Meber projeta faturar 20% mais

A Meber Metais trabalha com a previsão de aumento real de 20% no faturamento – dos R$ 68 milhões registrados em 2016 para os R$ 82 milhões projetados para alcançar até o fim de dezembro deste ano. Os números são muito mais otimistas que os contabilizados no balanço do ano passado – quando houve crescimento de 1,9% nas vendas no comparativo com 2015. A empresa deve investir ainda cerca de R$ 1 milhão em tecnologia de processos de fabricação. O montante será aplicado em melhorias no novo parque industrial, cujas operações iniciaram em 2013. As informações são do portal Amanhã.

Movelpar começa segunda em Arapongas

De 13 a 16 de março, a atenção do setor moveleiro estará concentrada na 11ª edição da Movelpar - Feira de Móveis do Paraná, realizada no Expoara, em Arapongas (PR). O evento concentra os lançamentos das indústrias e promove relacionamentos para realizar e fortalecer negócios com o mercado. São cerca de 180 expositores.

Brasil atravessa maior recessão da história

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta terça-feira o Produto Interno Bruto (PIB) de 2016, e o resultado não poderia ser mais dramático. A economia encolheu 3,6%, o segundo ano seguido de contração, fato sem precedentes em quase um século. Para os especialistas, porém, apesar de muito ruim, esse dado é passado. O que todos estão se perguntando é qual será o ritmo de retomada da atividade. As projeções apontam para incremento de 0,5% em 2017 e de 2,4% em 2018. Ainda que esses números deem um certo alívio, as incertezas são muitas, sobretudo na seara política. A recessão dos últimos dois anos tem contornos históricos em vários tipos de comparação. Segundo o IBGE, a economia recuou 7,2% no acumulado entre 2015 e 2016, retornando ao patamar de 2010. O resultado é o pior da série histórica do órgão, iniciada em 1947. Os próximos quatro meses serão decisivos para o governo. Se conseguir aprovar as reformas, terá todo o apoio dos agentes econômicos para levar

A semana começa com muita preocupação em Brasília.

O teor das declarações, ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), de Marcelo Odebrecht e de ex-executivos da construtora que liderou o processo de corrupção na Petrobras, deixou políticos dos principais partidos numa situação bastante difícil e ampliou a incerteza sobre o futuro do governo de Michel Temer. Ainda que o Palácio do Planalto faça uma avaliação positiva em relação ao que disse Odebrecht, já que ele não associou Temer a nenhum pedido formal de recursos para campanhas políticas, há muitas delações pela frente. Dos 77 executivos da empreiteira que fizeram acordo com a Justiça para dizer o que sabem sobre o esquema que saqueou a Petrobras, conhece-se apenas detalhes de três depoimentos. Há muita coisa para ser revelada. De agora em diante toda a blindagem a Temer será prioritária. A estratégia de sobrevivência de Temer inclui uma força-tarefa para aprovar, o mais rapidamente possível e sem grande alterações no projeto original, a reforma da Previdência. O Planalto acredita que, ao

Odebrecht pagou por vinte anos pedágio de US$ 100 mil mensais às Farc, diz Veja. Aliás, do jeito que vai, a pergunta é: Para quem a Odebrecht não pagou propina?

Investigada em pelo menos onze países por suspeita de pagamento de propina, a Odebrecht teria dado dinheiro às Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) nos últimos vinte anos, em troca de permissão para atuar nos territórios controlados pela guerrilha colombiana. A informação é da revista Veja, na edição publicada neste fim de semana. A revista,revela que a empreiteira destinou um valor mensal de até 100 mil dólares aos guerrilheiros colombianos para tocar obras em áreas dominadas por eles. As Farc sempre contaram com o apoio do PT e dos comunistas brasileiros. A reportagem de Renato Onofre informa que no ano passado, a empresa de Marcelo Odebrecht admitiu “práticas impróprias”. Nos balanços da empresa, o chamado "imposto guerrilheiro" pago às Farc aparecia dentro das rubricas "custo operacional", ou "tributo territorial".

Padilha segue internado em Porto Alegre, mas vai ser sacrificado por Temer

Se havia alguma dúvida sobre a volta de Eliseu Padilha para a Casa Civil, ela se dissipou diante do depoimento de Marcelo Odebrecht ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O empresário jogou no colo do ministro licenciado a responsabilidade pelo recebimento e o destino de R$ 10 milhões que foram repassados pela construtora ao PMDB. Como foi isentado por Odebrecht no depoimento, o presidente Michel Temer deixará Padilha queimar sozinho em praça pública. Segundo o empresário, em jantar no Palácio do Jaburu, em 2014, Temer falou sobre doações da construtora ao PMDB. Mas, em nenhum momento, o então vice-presidente falou em valores. Isso foi tratado diretamente com Padilha, quando Temer já não estava mais presente. A necessidade de sobrevivência, agora, é de Temer, e neste caso não haverá escrúpulos. Padilha, vai ficar com a conta e terá que assumir todos os ônus das declarações de Odebrecht. O ministro, por sinal, já foi entregue por José Yunes, amigo pessoal de Temer e ex-assessor especial

Pelo desmonte do gigantismo caro e ineficiente do seu estado

Enxugar e racionalizar a máquina, o Estado. Atender ao princípio da eficiência. Esse é o caminho. A estrutura burocrata não é um fim em si mesmo, mas só existe para servir o cidadão, a sociedade. O Estado necessário exige prioridades. Se a prioridade, segundo o eleitor, é educação, saúde e segurança, todo o restante tem que ser objeto de uma reengenharia de governo. Aos que são contra concessões públicas é bom lembrar que o modelo não é para cobrir rombos. É para melhorar serviços. Afinal, ao se livrar de ativos onerosos, o setor público deixa de ter gastos financeiros com os mesmos e permite que a inciativa privada faça novos investimentos, mantenha os empregos e o negócio funcionando. Ou seja, já que em muitos casos é até ineficiente na gestão, nada melhor do que transferir para a iniciativa privada o controle, uma vez que são muito mais eficientes. O que é preciso é quebrar paradigmas, planejamento, transparência e avaliar. Será mesmo necessário que tal equipamento público, que ta

Odebrecht confirma que doação de R$ 10 milhões para o PMDB foi caixa 2

Marcelo Odebrecht prestou novo depoimento nesta segunda e terça-feira em Curitiba. O ex-presidente da Odebrecht confirmou o episódio do jantar no Palácio do Jaburu, em maio de 2014, com a presença do então vice-presidente Temer e de Eliseu Padilha. Neste evento, segundo os delatores, foi acertado o pagamento de 10 milhões de reais para a campanha peemedebista.mDe acordo com Melo Filho, diretor da empreiteira, a entrega do dinheiro saiu do caixa 2 da empresa e foi repassada a Padilha. Marcelo Odebrecht não deu detalhes sobre os trâmites do caminho do dinheiro. O ex-executivo da Odebrecht delatou que o hoje ministro da Casa Civil pediu que parte dos recursos fosse entregue no escritório de José Yunes, assessor e amigo de Temer, em São Paulo. Segundo o delator, esse valor foi pago, em dinheiro vivo não contabilizado nas contas da campanha. Atualmente, Marcelo Odebrecht está detido na carceragem da Polícia Federal (PF), na capital paranaense. Ele foi preso na 14 fase da Operação Lava Jato

Benchmarking Fenavinho

Uma comitiva de lideranças de Bento Gonçalves, participam esta semana da Festa Nacional da Vendimia, em Mendonza na Argentina. Integram o grupo o prefeito Guilherme Pasin e o secretário de turismo Gilberto Durante. A Festa é um evento típico que acontece em Mendoza todos os anos na primeira semana de março para celebrar a colheita da uva, sendo considerada a maior festa nacional da Argentina. O evento é algo espetacular sob o ponto de vista da promoção do vinho, de uma festa popular e da atração turística. A intenção do grupo é colher ideias para a Fenavinho 50 anos. O que é muito importante, pois a festa na Argentina é realizada há mais de 75 anos. Os eventos relacionados à Vendimia já começam em janeiro e se estendem até o mês de março, quando é realizado o Ato Central da Festa Nacional da Vendimia, no Teatro Grego Frank Romero Day, em Mendoza. Durante as semanas que precedem a Vendimia são organizadas várias atividades nos departamentos e municípios do estado de Mendoza, inclui