Previdência passa em comissão, mas lobbies pressionam por alterações

Por 36 votos a 13, a Comissão Especial da Câmara que analisa a reforma da Previdência aprovou ontem texto-base apresentado pelo relator, Samuel Moreira (PSDB-SP). A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) estabelece idade mínima de 65 anos para homens e 62 para mulheres, com tempo mínimo de contribuição de 20 e 15 anos, respectivamente. Pelo texto, a aposentadoria por tempo de contribuição acaba. Sob forte lobby de algumas categorias, as novas regras ainda podem ser modificadas – deputados analisavam, até a noite de ontem, alterações apresentadas pelas bancadas. Bolsonaro e lideranças do governo costuraram acordo que beneficia PMs e bombeiros, mas deixa de fora agentes das Polícias Federal, Rodoviária Federal, Legislativa e guardas municipais. A PEC segue para votação na Câmara, onde precisa de 308 votos e ainda pode ser modificada. A inclusão de Estados e municípios é um dos pontos que devem ser discutidos, agora em plenário. O ministro da Economia, Paulo Guedes, espera que texto seja votado antes do recesso, no dia 18

POSTAGENS MAIS VISITADAS