Lula sai da cadeia, diz que vai percorrer o país para provar que é inocente e ataca Bolsonaro

O ex-presidente Lula ao deixar a prisão em Curitiba, abraçado pela namorada e por apoiadores.
A Justiça autorizou a soltura imediata do ex-presidente Lula, em decisão desta sexta-feira, um dia após o Supremo Tribunal Federal (STF) derrubar a prisão de condenados após a segunda instância. "Em face das situações já verificadas no curso do processo, [determino] que as autoridades públicas e os advogados do réu ajustem os protocolos de segurança para o adequado cumprimento da ordem, evitando-se situações de tumulto e risco à segurança pública", determinou o magistrado da 12ª Vara Federal de Curitiba. "

A decisão da Suprema Corte confirma aquilo que sempre dissemos que não havia a possibilidade de execução antecipada da pena”, disse Cristiano Zanin Martins, advogado de Lula, na coletiva de imprensa no início da manhã. Lula está preso em regime fechado desde abril de 2018 após condenação de 12 anos e 1 mês por corrupção e lavagem de dinheiro caso do tríplex do Guarujá.

O ex-presidente teve seu tempo de prisão reduzido pelo Tribunal Superior de Justiça para 8 anos de 10 meses.

A militância e os principais líderes do PT prepararam ato público para Lula discursar. Ele disse que não tinha pensado que após 580 dias estariam esperando ele. "Vocês eram o alimento da democracia que eu precisava para resistir" disse. "O lado podre do Estado Brasileiro, da policia federal, do ministério publico trabalharam para criminalizar o PT e para criminalizar Lula", afirmou.

Adotou o discurso de injustiçado, de perseguição política, acusou a Rede Globo, disse que todos os outros que o condenaram são maus carácter.

Ele inclusive citou Bolsonaro algumas vezes, numa clara demonstração que está pronto para se tornar a principal voz opositora ao atual governo.

O PT renasce com Lula fora da cadeia. Além disso, com Lula fora da prisão acendeu na esquerda a esperança de colocar o seu discurso na rua novamente. De tentar se colocar como o principal polo de oposição ao governo Bolsonaro. A redução da pena de Lula oferece munição ao PT para construir mais uma narrativa e tentar fortalecer o campo de oposição, hoje completamente despedaçado.

Dependendo do que acontecer, Lula tem chances de voltar ao jogo.

Portanto o governo Bolsonaro ganha a partir de agora uma oposição perigosa e um provável adversário para as próximas eleições, embora ele continue inelegível. Isso porque a condenação no caso do triplex do Guarujá (na Justiça Federal de Curitiba, no Tribunal Regional Federal da 4ª Região e no Superior Tribunal de Justiça) ainda estaria válida. Ou seja, hoje, Lula não teria condições de ter um eventual registro de candidatura aceito pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

POSTAGENS MAIS VISITADAS